• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

TODO APOIO ÀS POPULAÇÕES DO AMAPÁ

Hoje (06) é o quarto dia de apagão no Amapá. Furar o cordão sanitário do isolamento e prestar toda solidariedade ao povo do Amapá.

Publicado: 06 Novembro, 2020 - 13h50 | Última modificação: 06 Novembro, 2020 - 13h58

Escrito por: CUT-PA

CUT-PA
notice
POPULAÇÃO DO AMAPÁ PEDE SOCORRO!

Em meio a novo pico de Covid-19 e mesmo tendo 4 usinas hidrelétricas (Cachoeira Caldeirão, Santo Antônio do Jari, Ferreira Gomes Energia e Coaracy Nunes), o povo do Amapá nesta sexta-feira, 6/nov/20, ao quarto dia de apagão! A falta de energia atinge 14 dos 16 municípios do estado vizinho e perto de 500 mil pessoas enfrentam desabastecimento, escassez de água, comunicação rarefeita, além da falta de energia elétrica.

Tentando sobreviver em meio ao caos, moradores fazem longas filas tentando estocar alguma quantidade de água potável e lotam estabelecimentos que têm gerador de energia, como postos de combustível e supermercados. Nas geladeiras das famílias, comida estragada e ausência de assistência efetiva! E muita gente sem ter como comprar alimentos, dada a ausência de alimentos básicos!

Em 5 de novembro, ontem, o Ministério de Minas e Energia afirmou que pode demorar pelo menos 15 dias a retomada completa do fornecimento de energia elétrica no Amapá. Sem manutenção efetiva, o estado fica na dependência do transporte de transformadores, que pode durar 15 dias de Laranjal ou 30 dias de Boa Vista. São 14 cidades sem energia desde terça (3) após incêndio em subestação, afetando o fornecimento básico de água, telefone, internet e outros serviços básicos. 

A queda de energia foi causada por um incêndio em uma subestação de Macapá, capital do estado. O abastecimento foi desligado nas linhas de transmissão Laranja/Macapá e nas usinas hidrelétricas Coaracy Nunes e Ferreira Gomes.

 

Pedindo socorro, o povo do Amapá resume o que está acontecendo:

  • São 16 municípios no estado, destes 14 estão sem energia elétrica;
  • Com a falta de energia, a população fica também sem o abastecimento de água e sem internet;
  • Os postos de gasolina já não têm combustível para suprir a necessidade, incluindo a capital que tem aproximadamente 500 mil habitantes;
  • Sem energia e as operações bancárias estão funcionando com restrição, sem passar o cartão e sem poder sacar dinheiro desde terça-feira (03), já há pessoas sem conseguir comprar comida; 
  • O estado passa por um momento de pico de contaminação do COVID 19, os hospitais estão lotados, funcionam com gerador. As cirurgias foram interrompidas.

A CUT/PA entende que o primeiro passo é fazer com que todo o país e países vizinhos saibam o que está acontecendo no Amapá para produzir ações solidárias de abastecimento e serviços essenciais.

Nossa solidariedade e, ao mesmo tempo, total repúdio ao inerte governo Bolsonaro diante do que padece o povo do Amapá, estado que, a exemplo de outros estados da região amazônica, é visto como almoxarifado do país! 

Urge socorrer o povo do Amapá!

#SosAmapá

 

CUT/PA

6/nov/20